Home » » Caralho...

Caralho...

Manda-me Amor p'ró o caralho*,
que eu irei sem hesitar ,
tu não sabes o que eu gosto,
quando me queres castigar...

eu subirei ao teu mastro,

quantas vezes forem precisas,
tu nem imaginas o quanto é bom,
cada vez que me castigas...

Sento-me eu no caralho*,
e de lá eu vejo o mundo,
balanço-me ao som das ondas,
desse teu mar tão profundo...

esse teu mastro é seguro,
sei que não vou de lá cair,
sentada no teu caralho*,
só o sono não me há de vir...

Busco eu lá do alto,
terras novas além mar,
estatelada no caralho*,
dou comigo a divagar...

mas que castigo é esse,
que mais me parece prazer,
lá do alto do teu mastro,
é que eu gosto de te ver...

Fico eu de vigia,
de olhos arregalados,
enquanto no caralho* me enterro,
para o mal dos meus pecados...

Dizem as más línguas,
que o caralho* é zona de instabilidade,
só fala assim quem não sabe,
da missa nem se quer metade...

Provem que ainda há tempo,
e venham falar depois,
existem coisas do caralho,
que só se descobrem a dois!

*** Ártemis***

Caralho* :Segundo a Academia Portuguesa de Letras, "CARALHO" é a palavra com que se denominava a pequena cesta que se encontrava no alto dos mastros das caravelas, de onde os vigias prescrutavam o horizonte em busca de sinais de terra.
O CARALHO, dada a sua situação numa área de muita instabilidade (no alto do mastro) era onde se manifestava com maior intensidade o rolamento ou movimento lateral de um barco.
Também era considerado um lugar de "castigo" para aqueles marinheiros que cometiam alguma infracção a bordo. O castigado era enviado para cumprir horas e até dias inteiros no CARALHO e quando descia ficava tão enjoado que se mantinha tranquilo por um bom par de dias.

 
Support : Copyright © 2015. Celebrity Sexy - All Rights Reserved